fbpx

O aumento das doenças psicossomáticas durante a pandemia

Dores no corpo, diarreia, enxaqueca, tremores, falta de ar, podem ser “apenas” sintomas de tensões emocionais

Diante do número crescente de mortes em todo o mundo, o Covid-19 está causando outra pandemia: a do medo. Fora isso, o isolamento, o distanciamento das pessoas queridas e outras mudanças na rotina devido a esse novo cenário, geram ansiedade e stress que afetam mente e corpo.
O que muita gente desconhece é que as angústias geradas na mente, podem também gerar outras consequências físicas, como dores, inflamações, alergias entre outras, as chamadas doenças psicossomáticas.
A somatização é um transtorno onde a pessoa apresenta múltiplas queixas físicas, localizadas em diversos órgãos do corpo, como dor, diarreia, tremores e falta de ar, mas que não são explicadas por nenhuma doença ou alteração orgânica. Geralmente, uma pessoa com doença psicossomática está frequentemente em consultas médicas ou pronto-socorros devido a estes sintomas, e o médico costuma ter dificuldade em encontrar a causa.
Existem diversas situações que facilitam o desenvolvimento da somatização, como depressão, ansiedade e estresse. As pessoas mais afetadas são as que sofrem situações como: ampla jornada de trabalho, pessoas que trabalham diretamente com o público, além de traumas da infância ou após acontecimentos marcantes.
A pessoa com transtorno de somatização pode sofrer por muitos meses ou anos com estes sintomas até que se descubra a causa. Além disso, existem doenças que podem ser desencadeadas ou pioradas por situações de estresse, principalmente doenças inflamatórias, como artrite reumatóide, ou doenças como fibromialgia ou síndrome do intestino irritável, por exemplo.
Os sintomas são bastante reais e podem se manifestar de formas diferentes em cada pessoa. No sistema cardiovascular, são palpitações e taquicardia; no gastrointestinal, podem aparecer como náuseas, diarreias, úlceras e gastrite; no sistema respiratório, as doenças psicossomáticas causam ou agravam casos de asma e bronquite. Além de casos de transtorno de ordem dermatológica (coceiras) e metabólica (ganho de peso) e os problemas nas articulações (dores diversas).
A presença dos principais sintomas ajuda a identificar o problema, e são coração acelerado, tremores, dores de cabeça, boca seca, sensação de falta de ar e de nó na garganta, e podem ser mais ou menos intensos de acordo com piora ou melhora do estado emocional de cada pessoa. Para confirmar este transtorno, o médico irá identificar na sua avaliação a existência dos sintomas, sendo que os mais comuns são os gastrointestinais, os que imitam doenças neurológicas ou que afetam a região íntima. Os quadros de somatização se não identificados e tratados em tempo, podem se agravar, causando ou piorando doenças crônicas como asma e bronquite.
Muitas pessoas sentem dificuldade em aceitar que os sintomas podem ter origem psicológica. É comum, inclusive, que passem grandes períodos da vida pulando de médico em médico, à procura da doença que lhe causa tanto mal-estar, sem saber que sua origem é emocional. A partir do momento em que o paciente compreende a origem dos sintomas, é possível começar a trabalhar para a sua solução.
O diagnóstico de uma doença psicossomática pode ser feito por um médico clínico geral ou outro especialista que poderá apontar esta possibilidade, porque excluem a presença de outras doenças através do exame físico e de laboratório.

O tratamento
Alguns medicamentos para aliviar os sintomas incluem analgésicos, anti-inflamatórios, medicamentos para enjoo, além de medicamentos para controlar a ansiedade, antidepressivos ou ansiolíticos. O médico é sempre a pessoa indicada para receitar medicamentos.
Algumas medidas simples podem ajudar a lidar com os problemas emocionais, como tirar férias para descansar a mente e procurar resolver um problema de cada vez. Fazer algum tipo de exercício físico como caminhada, corrida, yoga ou pilates também pode ajudar a promover o bem-estar.
Uma opção muito recomendada e que não utiliza nenhum tipo de medicamento é a PNL, que é uma estrutura que atua na programação mental capaz de reprogramar e eliminar de forma rápida, prática e consistente as reações relacionadas a causa destes sintomas. Para saber mais sobre este recurso acesse https://principiokaizen.com.br/contato/ que nossa equipe entrará em contato com você.

Como resultados negativos de comunicação podem estragar o seu negócio

Segundo pesquisas 35% das empresas não tem um setor responsável pela comunicação, e 75% têm dificuldade de localizar as informações na empresa. 

Por isso, subestimar a necessidade de melhorar os processos de comunicação em uma empresa pode  ser desfavorável e trazer sérias consequências como boatos, retrabalhos e até prejuízos financeiros. 

É fundamental que gestores estejam atentos à comunicação, e que qualquer falha pode ser “fatal”. 

Uma dica para evitar grandes erros é primeiramente ter em mente que apesar de ser uma confirmação polêmica, o emissor é sim responsável pelo entendimento da sua mensagem. Assim, apesar da famosa frase de que para “bom entendedor meia palavra basta”, se houve algum problema de entendimento no que foi dito, a responsabilidade do problema de comunicação começa sim, com a escolha das palavras usadas pelo emissor. Se o mesmo usou o código errado para formar sua mensagem, sim, a culpa é dele. No caso de empresas, um dos maiores erros é cometido pelo próprio gestor.

Não fazer uma simples pergunta, “você entendeu?”, pode causar mais desentendimentos do que poderia ser previsto.

Cada um de nós possui diferentes pontos de vista, maneiras de pensar e expor a ideia que gostaria de passar. O que também explica o motivo de uma pessoa não entender logo de primeira. Muitas vezes não é porque ela não estava prestando atenção, apenas não entendeu o que você quis dizer, porque entre o que comunicou e o que ela entendeu tem um longo processo que está muito mais ligado às crenças dela. 

O primeiro passo para evitar os erros de comunicação é compreender como todas as pessoas funcionam no processamento de informação. Somente depois será possível evitar os erros de e gerar uma comunicação mais eficiente.

E é aí que entra a PNL!

Cada pessoa desenvolve ao longo da vida, predominância por um dos canais sensoriais. (Visão, Audição e Cinestesia). Alguns são predominantemente visuais, outros auditivos e alguns cinestésicos. O sistema sensorial funciona integrando as informações. 

Saber utilizar a variação sensorial faz com que o outro possa ter a melhor experiência na recepção da mensagem. O que vai evitar erros de comunicação e ainda proporcionar prazer ao interlocutor ou a sua audiência. 

Aprender sobre PNL vai fazer com que você elimine os erros na comunicação e ainda desenvolva as habilidades necessárias para melhorar a sua estratégia.

Sintomas de ansiedade: Como controlar

Considerada o mal do século, a ansiedade é um estado emocional comum ao se enfrentar algum problema no trabalho, antes de uma prova ou diante de decisões difíceis do dia a dia. No entanto, a ansiedade excessiva pode se tornar uma doença.

Tanto a ansiedade quanto o medo, não surgem na vida da pessoa por uma escolha. Acredita-se que vivências interpessoais e problemas na primeira infância possam ser importantes causas desses sintomas. Além disso, existem causas biológicas, como anormalidades químicas.

Mas nesse artigo, independente da causa para sua ansiedade, listamos algumas dicas saudáveis para te ajudar a controlar a ansiedade.

1 – Respire e relaxe

Este é um exercício que pode ser feito em qualquer lugar e qualquer momento do dia.

Controle a respiração, inspirando lentamente pelo nariz, com a boca fechada. Ao inspirar, deixar o abdômen expandir-se, ou seja, estufe a barriga e não o peito. Depois, expire lentamente, expelindo o ar pela boca.  Além disso, quando você estiver em um ambiente silencioso e com possibilidade de ficar deitado, use alguma técnica de relaxamento. O relaxamento combinado com a respiração, certamente reduzirá a respiração ofegante, a taquicardia e o tremor.

2 – Organize-se

Estar em um ambiente organizado ajuda no equilíbrio emocional e controle da ansiedade.

Além disso, pessoas com uma organização maior do seu tempo conseguem aproveitá-lo melhor, o que reduz muitos fatores causadores de ansiedade.

3 – Reserve um tempo para cuidar de você

Reserve algum tempo para olhar para si e entender em qual momento da vida está, o que deseja realmente fazer, e se está satisfeito com os seus resultados. Tem algum objetivo ou sonho? É importante definir metas e objetivos para que possa de fato entender suas necessidades, e assim controlar a inquietação.

4 – Pratique exercícios físicos

A forma mais comum de controlar a ansiedade é a prática de atividades físicas. A explicação é porque os exercícios elevam a produção de serotonina, substância que aumenta a sensação de prazer.

5 – Busque formas de reduzir o estresse

Hoje existem diversas formas de reduzir o estresse, como sessões de acupuntura, meditação, ioga, massagens, entre tantas outras. O ideal é procurar alternativas que mais se encaixem ao seu gosto pessoal e disponibilidade de tempo.

6 – Busque o autoconhecimento

Quem se conhece bem, sabe respeitar seus limites, consegue dizer “não” e é capaz de se proteger, tem menos ansiedade que outras pessoas que estão ainda aprendendo a se conhecer. Quem tem total aceitação de si mesmo pode pensar, dizer e agir sem culpa, com total alinhamento das suas necessidades.

Com estas dicas você já pode controlar os sinais de ansiedade em sua vida.

Deseja buscar ferramentas para o autoconhecimento?

Assine nossa Newsletter!

O que é procrastinar? 5 dicas para você vencer esse vício!

Para que fazer hoje, o que pode deixar para amanhã não é mesmo?

Opa, parece que você andou mudando o ditado?

Parece estranho, mas existem mesmo milhares de pessoas fazendo isso diariamente. A famosa procrastinação!

Apesar de ser uma prática ou vício cada vez mais comum, é muito prejudicial.

Mas afinal, o que é procrastinação?

É um comportamento para adiar algo que tem que ser feito, ou resolvido. Quem tem essa prática como hábito, pode acabar comprometendo a qualidade do que é entregue ou mesmo deixando de cumprir com as obrigações.

O ato de procrastinar pode ser ligado à falta de responsabilidade, e você não quer que esse tipo de imagem associada a você, certo?

Causas

Agora que já sabemos o que é procrastinação, entenda as causas que podem levar a esse hábito.

As vilãs podem ser a ansiedade, o estresse, a falta de foco e até mesmo a falta de motivação e produtividade.

Conseguiu se identificar até aqui?

Então mantenha a calma e confira algumas dicas para te ajudar a vencer esse costume.

1 – Faça uma coisa de cada vez

Esqueça ser multitarefa se você tem a tendência a procrastinar. Você vai achar que está realizando mais de uma atividade ao mesmo tempo, e por fim não concluir nada, ou não fazer nenhuma com qualidade.  Faça listas, enumere os passos, quebrando uma tarefa mais complexa em várias menores e mais fáceis de serem realizadas.

2– Evite que se torne uma rotina

A procrastinação é um problema que interfere nas relações profissionais, nos relacionamentos e pode prejudicar até mesmo a sua saúde, gerando sentimentos como culpa, estresse e ansiedade, criando situações de pressão desnecessárias. Portanto, tente evitar essa prática antes que ela se torne uma rotina.

3 – Mantenha o foco

Concentre-se. Se você tem dificuldades para manter o foco, estímulos externos não atrelados àquela tarefa, vão tornar mais fácil perder a concentração. Portanto, elimine tudo que pode tirar o seu foco no momento da execução da tarefa.

O entretenimento sempre vai parecer mais interessante do que uma obrigação, ainda mais se você estiver com um prazo mais longo para finalizar aquela demanda.

Evite ficar checando as redes sociais o tempo todo, uma boa tática para te ajudar a não ficar tão atento quanto às notificações, é deixar o celular em modo avião.

4 – Faça pequenas pausas

Pausas feitas no momento e no jeito certo, podem te ajudar a ser mais produtivo. Um exemplo é uma técnica chamada Pomodoro. Que funciona da seguinte forma:  Trabalhe em períodos de 25 minutos com foco total na tarefa, sem interferências externas, intercalados com pausas de 5 minutos para descanso ou entretenimento, com algo que não esteja relacionado com a tarefa que está sendo realizada. Após 4 ciclos de 25+5 minutos, realiza-se uma pausa maior, de 30 minutos.

5 – Crie um mecanismo padrão

Observe e anote o que normalmente faz você procrastinar. Escreva que tipo de tarefa você costuma adiar e que tipo de atividade tira a sua concentração. Crie mecanismos para evitar esse tipo de interferência, e com certeza já terá um bom norte para evitar a procrastinação.

E aí? Chega de procrastinação, coloque as dicas em prática!

Comece uma mudança em si mesmo a partir destas dicas!

Gostou do artigo e quer receber mais conteúdos como esse?

Cadastre-se para receber nossas Newsletters!

Estamos presentes em: